Teletrabalho está a deixar de ser uma realidade generalizada

No início do mês de agosto, o teletrabalho deixou de ser obrigatório nos concelhos de risco, passando a recomendado em todo o território nacional. Com a nova fase de desconfinamento, em outubro, e a evolução do plano de vacinação, o teletrabalho deixa de ser uma realidade generalizada e são muitos os que começam a voltar ao local de trabalho, em regime híbrido ou até mesmo totalmente presencial.

Desta forma, após várias semanas de confinamento, regressamos, de forma faseada e progressiva, às nossas rotinas habituais e sentimos estar a voltar à normalidade. No entanto, esta situação, pode levar a experienciar sentimentos ambíguos, ou seja, podemos estar felizes e aliviados por poder sair de casa e recuperar parte da rotina, mas, simultaneamente, angustiados e apreensivos pelos riscos que este regresso significa, pelas alterações e necessidade de reorganização que implica.

Desta forma, é importante planear e antecipar as adaptações, pessoais e organizacionais, que terão de existir no regresso progressivo ao trabalho presencial, considerando as situações que podem constituir uma fonte de ansiedade.

A Human2Human, à semelhança da maioria das empresas em Portugal, está a operar num modelo híbrido, desenvolvendo o seu trabalho à distância ou presencial, de acordo com as necessidades dos nossos clientes. De forma, para garantir e manter a segurança de todos, colaboradores, cliente e candidatos, nesta nova etapa de regresso ao trabalho seguimos as recomendações do guia da DGS para minimizar riscos para a saúde física e saúde mental no local de trabalho.